Implantação do Gerenciamento de Leitos Hospitalares.

Compartilhe:
220713A organização hospitalar, sabemos, é muito complexa, devido aos inúmeros processos assistenciais e administrativos trabalhando de forma simultânea.
Um dos processos críticos nos hospitais é o gerenciamento de leitos. Vários hospitais têm enfrentado dificuldades para gerir este processo.
A falta leitos e a fragilidade no gerenciamento são uma realidade, trazendo assim insatisfação dos clientes e perda financeira quando um leito fica parado.
Com a intenção de não trabalhar com tanto imprevistos, os hospitais têm investido em uma gestão para planejar e acompanhar os processos relacionados à liberação dos leitos.
A implantação do setor de gerenciamento de leitos traz diversos benefícios para a instituição de saúde, tais como: Aumento da taxa de ocupação, Melhor utilização da capacidade instalada, Contribui para a satisfação do cliente médico e cliente paciente.
É essencial identificar claramente os processos que interagem na ocupação dos leitos, definir metas para acompanhar os resultados alcançados, mensurá-los, checá-los, agir sobre os resultados e propor melhorias.
Abaixo listamos alguns passos que podemos aplicar para implantação da gestão de leitos nas instituições de saúde, sempre avaliando o perfil da instituição e suas condições:
  1. Definir sistemática para implantação da Gestão de Leitos. - Consiste em criar critérios para liberação dos leitos das internações eletivas e não programadas (solicitadas pelo Pronto Atendimento, transferências de outras instituições), definição das prioridades, definir a equipe que será responsável pelo processo e quantidade de cirurgia liberada para agendamento eletivo.
  2. Interfaces e Integração com as áreas. - Algumas instituições optam em criar um setor para gerenciamento de leitos, outras incluem ao setor de internação e admissão; o mais importante é ter um dono para o processo, para ser a referencia e dar diretrizes aos outros setores que tem interface direta com o gerenciamento de leitos. Áreas envolvidas como enfermagem, manutenção, higienização, rouparia, tesouraria e corpo clinico são peças fundamentais de integração para o sucesso da implantação da gestão de leitos. Todos devem ter a consciência do seu papel, seu grau de importância e os impactos nas falhas de processo. Todos devem saber quanto custa um leito parado, seja por uma lâmpada estragada, falta de enxoval para compor, até mesmo como uma interdição de pequenas reformas.
  3. Gerenciar os tempos. – Antes de definir tempos para meta, deve medir os tempos atuais: – Tempo médio de internação, tempo de alta, tempo de liberação do leito para higienização, tempo médio higienização e composição do leito. Baseado nestes dados o gestor do processo terá um pré-diagnóstico, em sua grande maioria já saberá onde deverá atuar.
  4. Sistema/Softwares. – Ter um sistema para auxiliar a gestão de leitos tem como objetivos a redução do tempo de espera para internação, a eliminação de ocorrências de cancelamento de cirurgias por falta de leitos, possibilita a programação de manutenções preventivas e corretivas em apartamentos e a melhoria da qualidade de atendimento na central de reservas. Um sistema de gerenciamento de leitos possibilita a integração das equipes de Hotelaria, Enfermagem, Nutrição e Manutenção refletindo diretamente na qualidade do atendimento aos pacientes.
  5. Indicadores. - Definir indicadores para acompanhamento das rotinas e processos a fim de tomada de decisão. Alguns exemplos de indicadores utilizados: Tempo médio de higienização; Tempo médio para internação; Tempo médio de alta até a liberação do leito; Taxa de altas prescritas até 10 horas; Tempo médio de solução de solicitação de apartamentos. Indicadores devem ser mensurados para checar os resultados e avaliar futuras ações.
Estes são alguns exemplos de como podemos iniciar ou aprimorar o gerenciamento de leitos, favorecendo não somente a rotina da instituição de saúde, mas também o cliente. Gerenciamento significa buscar a utilização dos leitos disponíveis em sua capacidade máxima, com segurança dentro dos critérios estabelecidos (técnicos, administrativos), com objetivo de otimizar o tempo de espera para internação e satisfação dos clientes internos e externos.

Administradora de Empresas, Coordenadora do Grupo Mineiro de Hotelaria Hospitalar. Coordenadora de hotelaria Hospitalar do Hospital Socor Belo Horizonte MG. Atuação pela integração dos processos relacionados, implantação e disseminação do conceito de Hospitalidade.