A sala de espera e o primeiro lugar que nossos clientes têm contato. E por vezes passam neste ambiente mais tempo do que na própria consulta, pelo que deve ser considerado o cartão de visita de uma clínica ou consultório, porque como sabemos “A primeira impressão é a que fica”.

Ela deve ser um lugar calmo, sofisticado e ao mesmo tempo aconchegante, e de todos os ambientes da clínica, é o setor onde podemos ter um pouco mais de liberdade para projetar elegância e profissionalismo.

Não é difícil imaginar, que quando um cliente e seu acompanhante chegam pela primeira vez a uma sala de espera mal organizada, muito simples ou com uma decoração e cores nada agradáveis, eles podem pensar que os profissionais que atendem nesse local não são tão competentes.

Ambientes de saúde como hospitais, clínicas e laboratórios obedecem a rigorosas normas da vigilância sanitária quanto ao uso de alguns materiais utilizados, por isso devemos ter o cuidado com as especificações.

Por isso, na sala de espera devemos trabalhar de maneira a causar sempre uma boa impressão aos pacientes e acompanhantes que ali chegam, além de nos preocupar com um atendimento humanizado, pois em várias situações os clientes que aguardam sua vez neste local, podem estar passando por situações difíceis, estressantes ou de sofrimento.

A espera deve ser projetada de forma a oferecer conforto e um ambiente agradável. Por exemplo, ao invés da colocar uma TV com uma programação que nem sempre agrada a todos, e muitas vezes temos que deixar mudo para não incomodar com o barulho, podemos usar esse veículo de comunicação para apresentar alguns vídeos educativos, ou institucionais sobre o trabalho da clínica e da equipe de saúde. Outra dica é substituir a TV por imagens, que poderão ser utilizadas tanto em tetos como em paredes de forma lúdica e harmoniosa.

A iluminação é outro fator importante. Um bom projeto luminotécnico deve ser feito de maneira a proporcionar mais aconchego. O ideal é explorar ao máximo a luz natural, que filtrada através de uma bela cortina, transmite uma certa calidez aos espaços e uma sensação de tranquilidade. Se o ambiente não permite ter iluminação natural, um dica é ter luminárias com fluorescentes ou LED para simular esse efeito.

310314b

A cor também deve ser trabalhada. O interessante seria optar como fundo base a cor branca que deixa o ambiente mais leve e neutro, e fazer contrastes através de painéis amadeirados, espelhos, papéis de parede vinilizados, ou pontuar painéis e objetos com cores marcantes, de modo que transmita, paz e ao mesmo tempo alegria.

A escolha das poltronas e móveis deverá ser confortável para aliviar a tensão de quem espera pelo atendimento. Os materiais deverão ser de fácil higienização e durabilidade. Podemos usar móveis com tecidos claros, porém em contraste com a cor das paredes.

Para quem deseja ousar um pouco e quebrar barreiras com seus clientes, a utilização de paredes de vidros entre a sala de espera e os consultórios, sem ser invasivo com a privacidade do paciente, desenvolve uma ideia de extrema confiança e coloca o “doutor” no mesmo patamar que o paciente, aumentando a credibilidade do profissional.

Poucos detalhes na decoração passam a ideia de confiabilidade e afinidade por parte dos pacientes com seus médicos, contribuindo com isso com a sensação de organização, limpeza, e assepsia da clínica ou consultório. Afinal, não há como negar que o ambiente de saúde também ajuda na tranquilidade e recuperação dos pacientes.

Arquiteta e Consultora em Projetos Clínicos e Hospitalares. Especializada em Arquitetura de Estabelecimentos de Saúde em 2002, porém atua como arquiteta em hospitais desde 1999. Desde essa data, 1999, atua exclusivamente fazendo projetos na área da saúde, desde particulares a projetos de estabelecimentos de saúde na área pública. Trabalhando dentro de um hospital público durante 9 anos, aprendeu muito com todos os usuários, e aprendeu também a amar essa área, porque parte dos projetos que desenvolve, ajudam tanto os pacientes na sua recuperação como todos os usuários que circulam no estabelecimento.

6 Thoughts to “Sala de Espera: a Primeira Impressão é a que fica.”

  1. Sidnei Pegoraro

    No caso de instituições de administração pública normalmente as salas de espera são super lotadas, temos uma falta generalizada de locais ideais para atendimento.
    E temos ainda em algumas situações a má educação de ambas as partes tanto dos pacientes quanto dos atendentes.

  2. Maria Julia Henrique

    Acompanhando pessoas aos consultórios médicos, observo como as recepcionistas, e secretárias estão entediadas com seu trabalho, e o mal atendimento pode ser traumático para os pacientes. Elas precisam ser melhor treinadas. O que deve ser feito? Tal vez, as pessoas poderiam fazer reciclagem duas vezes por ano, se cuidarem e descobrir se realmente o trabalho as deixam felizes.

  3. Carlos Gonçalves

    A sociedade atual procura continuamente serviços de qualidade, o que gera modificações nas especificidades destes e uma maior exigência aos fornecedores, paradigma ao qual os serviços de saúde não são alheios. Utiliza-se o termo “amenidades” quando nos referirmos às condições de conforto e aparência dos serviços, atenção dispensada aos pacientes, explicações e outros factores que envolvem questões de qualidade ligadas à satisfação do utilizador dos serviços e que ultrapassam, muitas vezes, a eficácia técnica.
    A satisfação pode ser entendida como o “resultado da avaliação que uma pessoa faz, em jeito de balanço, relativamente ao grau de realização dos seus valores, necessidades, preferências e expectativas, ou seja, é uma pessoa perceber ou sentir que aquilo que recebe está de acordo com aquilo que esperava obter” sendo, portanto, um conceito subjectivo e dinâmico, com diferentes significados, em diferentes contextos e com um forte valor cultural intrínseco.
    A satisfação do utilizador de cuidados de saúde começa, portanto, na porta de entrada ou seja, na forma como este é recebido à chegada e com o ambiente que existe na sala de espera. Se o ambiente for calmo e tranquilo, cuidados com as cores e/ou o tipo de luz, se houver uma música de fundo relaxante – jazz, bossa nova, clássica, o comportamento das pessoas altera-se e ficam mais calmas e relaxadas, adoptando inclusivamente posturas diferentes nas consultas. Abraços.

  4. Andrea Cequetin

    Parabéns Jucélia! Condordo com vc!

  5. Miriam Carvalho

    Com certeza! Só que em alguns lugares isso não funciona pois a falta de educação e postura de alguns funcionários parece não incomodar seus respectivos patrões.

    1. Realmente não basta ter um lugar bonito se quem trabalha ali não tiver um bom treinamento para atender bem.

Leave a Comment