Você contrata Médicos e Enfermeiras ou contrata Pessoas?


Não é segredo para ninguém que as pessoas são a chave do sucesso ou do fracasso de uma organização, certo?

Mas, quantas instituições na área da saúde tem um plano de desenvolvimento de pessoal ou um plano de carreira para reter seus talentos?, quantas entendem que seus recursos humanos não são custo e sim uma parte estratégica para alavancar os negócios? e, quantas realizam ações de endomarketing para motivar e fidelizar seus clientes internos? Certamente muito poucas.

No dia-a-dia trabalhamos e convivemos com pessoas, e também atendemos e tratamos pessoas, então nossos serviços precisam ter uma proximidade com o ser humano, com seus sentimentos e emoções, suas expectativas, seus valores, e tudo isso pode ser recriado a partir de afinidades com uma cultura empresarial que favoreça o crescimento contínuo dos recursos humanos e o investimento no capital intelectual.

Pensando nisso é que um plano de desenvolvimento de pessoas permite que sua organização possa recrutar e construir a melhor equipe de saúde para sua instituição. Porque se sua instituição não conseguir recrutar os membros da equipe médica e de enfermagem adequadas, com certeza vai significar dores de cabeça num futuro, não tão longe.

Lembre-se que seu objetivo principal é satisfazer as necessidades de saúde dos seus clientes e construir vínculos que permitam o retorno deles. Por isso, construir uma equipe de apoio forte e identificada com sua empresa e com os gestores poderá garantir o sucesso disso. Visto que, uma instituição só poderá brindar um serviço de saúde de qualidade, se tiver um elenco de qualidade.

Um bom plano de desenvolvimento de gestão de pessoas:

  • Melhora a qualidade do atendimento dos clientes;
  • Otimiza os processos das  equipes de saúde melhorando o fluxo e possibilitando  maior padronização das rotinas;
  • Aumenta a resolutividade e minimiza os erros no atendimento por meio da qualificação dos recursos humanos;
  • Otimiza os recursos financeiros e evita desperdício de material e tempo com formação e treinamento de novos profissionais de saúde;
  • Identifica às necessidades das equipes de trabalho agilizando os processos de desenvolvimento de RH em Saúde.

Também é importante enfatizar que, para que uma instituição de saúde obtenha um excelente resultado na qualidade de seus serviços para atender clientes, se faz necessário uma adequada gestão de pessoas.

É importante priorizar, no planejamento das atividades da organização, aquelas voltadas ao setor de gestão de pessoas, capazes de aprimorar as ações de captação, recrutamento, seleção, admissão, integração, treinamento, reciclagem e capacitação do pessoal, e tornar dinâmico todo o processo, permitindo assim que as pessoas sintam-se envolvidas com a cultura organizacional e tenham cada vez mais orgulho de fazer parte de uma organização que prioriza o bem-estar físico, psíquico e social de seus funcionários.

Médico especialista em Administração Hospitalar e Marketing em Saúde. Autor do composto "10 P's do Marketing em Saúde". Professor do curso online Marketing Estratégico para Clínicas e Empresas de Saúde. CEO da HMDoctors, Assessor da Stratas Partners (Suíça) para o acesso ao mercado hospitalar brasileiro, Consultor de Gestão de Carreira e Marketing Médico, e Revisor de artigos e publicações sobre Gestão, Empreendedorismo e Marketing em Saúde para a revista eletrônica Gestão e Saúde da Universidade de Brasília - UNB. Formado em medicina com pós graduação em epidemiologia, formado em administração hospitalar e MBA em organizações hospitalares e sistemas de saúde pela FGV. 16 anos de experiência em hospitais públicos, privados, institutos de pesquisa clínica e consultor para empresas nacionais e multinacionais.

Um Comentário em “Você contrata Médicos e Enfermeiras ou contrata Pessoas?

  1. Concordo, infelizmente muitas empresas esquecem da importância de humanizar o atendimento, sobretudo empresas de saúde cuja sensibilidade dos clientes se encontra mais evidente. Concordo também com a proliferação das ações de endomarketing, como ressalta a matéria, pois um dos principais problemas encontrados nos ambientes internos da corporação é o “mal” relacionamento, que classifico nos três níveis a seguir: 1. colaborador x colaborador, 2. colaborador x empresa 3. empresa x colaborador. E isso sem classificar o relacionamento dos stakeholders em geral (fornecedor / clientes). O “mal” relacionamento constitui também o principal motivo de solicitação de desligamento de algumas empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *